Worms e Speyer

20171018_016

Iniciamos o dia ouvindo o texto de Lutero “Perdoando um ao outro” (Castelo Forte, dia 22 de junho de 2017), enquanto nos dirigíamos para Worms. Cidade onde Lutero defendeu suas teses (Dieta de Worms) e recusou-se a fazer as retratações exigidas pelo Papa.

No passeio pela cidade, vimos a Roda do Destino; de um lado as pessoas que foram importantes para a cidade e do outro os acontecimentos. Esta roda nunca para de girar. Em Worms está a maior estátua em homenagem a Lutero, onde há uma “simulação” da defesa das teses; Lutero em frente a Carlos V dizendo:

“Aqui estou e não revogo nada. Que Deus me ajude. Amém ”

Junto da estátua de Lutero, há uma representação do “inicio” da Igreja Protestante, em 1555, com os escritos de Melanchthon.

Visitamos também o cemitério dos Judeus, no qual há dois túmulos representando o muro das lamentações de Belém.

Lutero foi proibido de entrar na Igreja para defender suas teses e isso ocorreu em uma “sala ao lado”, onde hoje fica o Jardim da Salvação. Nossa última parada em Worms, foi a igreja.

Continuamos nosso passeio em Speyer, com lindas imagens do outono e da Maior Igreja Românica do mundo. Esta igreja possui uma ante sala, na qual os não batizados tinham acesso para assistir as missas. Em baixo da igreja, há uma cripta, com uma outra pequena igreja e com as tumbas de 4 reis e 4 príncipes.

Mesmo não sendo hoje a nossa última noite na Alemanha, adiantamos o nosso jantar de despedida, pois amanhã a noite P. Carlos não estará conosco. Foi uma noite de muita alegria, discurso, poema e música.

Amanhã, nosso destino é o Rio Reno e um magnífico passeio de barco.