Erfurt

20171014_008

E chegamos a metade da nossa viagem. Hoje foi dia de sabermos um pouco mais sobre Erfurt. Saímos do hotel em caminhada até uma praça na beira da “ponte condomínio”; algo muito comum próximo aos rios. Se de um lado da ponte temos casas, do outro temos o comercio. Nesta ruela vimos a Erfurter Blue, loja que fabrica e vende a cor azul.

Através da manipulação da planta Waid, obtêm-se uma massa preta, a qual era misturada com a urina de jovens e esta mistura se transformava na cor azul. Imaginem o cheiro da cidade naquela época. Para obtenção da cor azul, é necessário a amônia; substância encontrada na urina.

Alguns metros adiante, já encontramos a prefeitura e logo mais o cartório, ambos com estilos arquitetônicos peculiares. No cartório, vimos duas obras em “grafite” (a parede era pintada de branco e posteriormente de preto. Em seguida, o artista usava uma espatula para remover o preto e dar vida a obra.

A igreja São Silvério levou 300 anos para ser construída. Igrejas em estilo românico e gótico. Como ninguém é de ferro, uma paradinha rápida para descansar e seguimos até o monastério onde Lutero ingressou para iniciar sua vida no sacerdócio. Como ato de renuncia, Lutero deitou-se em frente ao altar e comprometeu-se servir a Deus.

Onde hoje é o museu do Monastério Agostinianos Eremitas, vimos um dos sinos originais e a forma simples como viviam os (em torno de 130) monges, uma replica das vestes e uma pintura de Lutero (que retratava sua imagem durante os 6 anos que lá esteve). Com a tarde livre, cada qual escolheu uma forma de explorar individualmente a cidade.

Por fim, o Happy Hour foi após o jantar, encerrando mais um ótimo dia da nossa viagem.